7 dias em Buenos Aires

Tempos de crise, mas como ficar sem viajar nas férias, com o dólar nas alturas e o Euro nem se fala, aí pensamos…Que tal recorrer a umas férias nos nossos vizinhos portenhos? Mi Buenos Aires Querido!!

Outra coisa que pesou na nossa decisão,  foi conseguir aproveitar uma promoção de smiles, assim só pagamos as taxas, mas a única coisa que não esperávamos era a Gol cancelar o voo direto de POA para Buenos Aires. Nós compramos nossas passagens em janeiro para viajar em maio e isso só foi divulgado em março, começando a valer a partir no mês de maio. Assim perdemos um pouquinho de horas, pois tivemos que pegar um voo em POA para ir até SP e de lá Buenos Aires. Aff…um vai e volta desnecessário, mas ok.

Chegamos a Buenos Aires às 14hrs, mas até passar na alfândega, pegar malas e fazer o câmbio do dinheiro já era mais de 15hrs. O hotel escolhido foi o O’baires, ótimo custo beneficio, quartos amplos, café da manhã simples mas excelente e algo muito positivo a limpeza do local. Demoramos muito para decidir a escolha do hotel pois a maioria havia reclamação no quesito limpeza, então estávamos bem preocupados com isso, mas nos surpreendemos com este hotel. Outra comodidade era a localização há 3 quadras do metro, assim pudemos fazer vários passeios sem utilizar táxi. Nesse primeiro dia nossa programação estava contando apenas com um jantar em Puerto Madero, estava muito frio, então não pudemos apreciar como merecido a beleza do local à noite.

Puerto Madero à noite
Puerto Madero à noite

Segundo dia, acordamos cedinho, tomamos café e pegamos um táxi até a Estação Retiro. Nosso destino era a cidade de Tigre, localizada a 33 km de Buenos Aires, para este passeio você tem duas opções de trem: Retiro – Tigre (direto) ou Retiro – Delta (baldeação para o trem de la costa- Tigre, escolhemos a segunda opção pois pensávamos que seria algo imperdível, mas honestamente não vimos nada demais, achávamos que o trem fosse costeando o Rio de La Plata, mas isso só acontece em alguns trechos e mesmo assim a vista não é tão bonita, a grande atração mesmo é a cidade.

Estação Retiro
Estação Retiro

E por falar em atração, Tigre está repleta, tem um parque de diversões enorme, cassino, Puerto de Frutos, um prédio China Town, museus e vários tipos de passeios de barco. Uma cidade digna de um pernoite. Este quem sabe programaremos numa próxima viagem.

Como nosso tempo era curto, conhecemos o Puerto de Frutos, onde aproveitamos para almoçar, visitamos rapidamente a China Town, caminhamos costeando o Rio Tigre, atravessamos a ponte e caminhamos ao longo do outro lado da margem do rio, até chegarmos ao ponto de junção dos Rios. Após, seguimos para estação de trem para retornarmos a Buenos Aires, dessa vez optamos pela viagem direta a Estação Retiro (50min de viagem).

Puerto de Frutos - Tigre
Tigre – Puerto de Frutos
Margem Rio Tigre
Rio Tigre

No nosso terceiro dia em Buenos Aires, pegamos o trem até a estação 9 de julho, visitamos o Obelisco e após fomos caminhando até o Café Tortoni, apreciamos apenas um cafezinho, pois a recém tínhamos tomado café no hotel. O ideal é que você concilie sua visita com uma refeição, mas se não for possível  faça como nós, mas não deixe de visitar. O lugar existe desde 1858, tem uma decoração muito bacana e é como se você voltasse no tempo.

 

Depois do nosso cafezinho seguimos caminhando até Plaza de Mayo, onde pudemos fotografar a Catedral e a Casa Rosada.

 

Como era domingo, nossa intenção era terminar a programação do dia na Feira de San Telmo, que é famosa pela venda de antiguidades, desde 1970. A partir da Plaza de Mayo, entramos na Rua Defensa e caminhamos cerca de 1,5 km até chegar  na feira (legal para quem gosta de uma muvuca e aprecia a venda de souvenirs, artesanatos, artistas de rua, etc….), também aproveitamos para almoçar durante o caminho e tirar foto no monumento da Mafalda.

 

Iniciamos nosso quarto dia conhecendo o cemitério da Recoleta, que é considerado um museu, devido a existência de um grande número de obras de arte e também por abrigar os restos mortais de algumas personalidades que fizeram história na Argentina, acho que o sepulcro mais famoso é o da Eva Perón. Aproveitamos que estávamos nesta região e fomos conhecer a Floralis Generica, almoçamos, andamos pela Recoleta, passamos em frente ao Hotel Alvear tomamos um delicioso sorvete e seguimos para o hotel.

 

O quinto dia foi muito bacana, pegamos um táxi em frente ao hotel e seguimos para o Caminito,  embora ele esteja localizado numa região meio decadente de Buenos Aires, ainda assim os prédios característicos da região são bem coloridos e rendem belas fotos, o comércio local também têm produtos típicos, onde é possível comprar souvenirs por um preço mais justo.

Perto fica o Estádio do Boca Juniors, onde fizemos uma visita rápida para conhecer o característico campo retangular, que levou o apelido de La Bombonera, por parecer uma caixa de bombons.

La Bombonera
La Boca – La Bombonera

Após a visita pegamos novamente um táxi e seguimos para o centro da cidade, tínhamos a intenção de almoçar em um restaurante que nos tinham recomendado, mas nos demos mal, pois precisava de reserva, então caminhamos um pouco mais e fomos até a Galerias Pacifico, onde além de conhecê-la aproveitamos para almoçar.

Galeria Pacifico
Galerias Pacifico

Saímos da Galeria e fomos em direção ao Puerto Madero para aproveitar o lugar durante o dia, na verdade o tempo não colaborou pois pegamos uma garoa no caminho, então aproveitamos para conhecer o Museo Fragata Sarmiento, uma embarcação construída em 1897 em Liverpool (Inglaterra), que foi utilizada como primeiro navio-escola na Argentina. Como o tempo não colaborou com nosso passeio, após conhecer a Fragata decidimos seguir para o hotel.

O sexto dia amanheceu lindo e foi ótimo isto acontecer, pois era o dia destinado a conhecer o zoológico e os parques localizados no bairro de Palermo. Começamos nosso passeio pelo zoológico que embora estivesse em má conservação tinha uma linda arquitetura, um mês após nossa visita ficamos sabendo que o zoológico foi fechado e ficamos felizes com a notícia, porque embora os animais lá abrigados fossem lindos, estavam todos meio abatidos e pareciam mal cuidados.

Como este era o nosso último dia de passeio, reservamos a hora do almoço para uma autentica parrilla e o restaurante escolhido foi o Rio Alba. Delicioso!!

Na parte da tarde visitamos o Rosedal, um enorme e lindo parque que possui lago para pedalinho e o lindo jardim de rosas, que embora fosse outono, estava bem florido.

Encerramos nosso dia de passeio visitando o Jardim Japonês, muito lindo e para quem gosta de sushi o parque possui um restaurante e uma casa de chá.

O sétimo dia foi o dia de retornar, mas como nosso voo era as 15hrs conseguimos aproveitar a manhã para passear na Avenida Santa Fé e curtir um pouquinho mais da cidade.

Assim encerramos mais uma Invasão Bárbara; com promessa de retorno, pois conseguimos conferir apenas o imperdível, mas ainda faltaram muitas atrações. E você já conhece Buenos Aires? Acha que faltou alguma coisa na nossa programação? Estamos abertos a sugestões para uma próxima visita e para quem não conhece, como sempre deixamos aqui a nossa disponibilidade para lhe ajudar com dicas e sugestões.

 

 

 

 

Como não ser chato mostrando fotos de viagem

Hoje em dia é impossível você voltar sem milhares de fotos de viagem, isso porque qualquer pessoa tem um celular com câmera ou mesmo uma câmera digital, que permite você fotogravar tudo que você considera importante registrar para depois poder mostrar para a família e amigos, ou mesmo guardar de lembrança.

Lembro que nas nossas primeiras viagens, sentávamos a família toda na sala e colocávamos as fotos pra passar na televisão, na maioria das vezes o pessoal olhava um pouco, mas logo alguma coisa acontecia e a atenção do pessoal se dirpersava e ninguém chegava a olhar nem um terço das fotos.

Foi então que tivemos a ideia de fazer um álbum para cada viagem que fizéssemos, assim, além de ficarmos com uma linda lembrança, também conseguimos mostrar como foi a viagem de maneira interessante, sem ser cansativo.

Mas como montar um álbum com as milhares de fotos que se tira em uma viagem?

Primeiro. A gente gosta daqueles álbuns tipo foto livro, costumamos comprar aqueles square que são 21cm x 21cm, um tamanho bom de se carregar e de fácil manuseio, costuma vir 32 páginas, mas se você quiser pode incluir mais páginas pagando um adicional. Esses álbuns você adquire  online e vem um programinha para você baixar no seu computador e montar o álbum da maneira que você achar melhor.

Álbuns

Segundo. Dividimos nossos álbuns por país ou por cidades, assim fica mais fácil de selecionar dentre milhares de fotos aquelas que você considera indispensáveis. Por exemplo, a primeira viagem que fizemos para a Europa visitamos 4 países, então dividimos o álbum em quatro sessões e pra cada sessão colocamos ao menos 1 página por dia naquele lugar. Assim, o álbum fica conforme o nosso roteiro.

Costumamos dizer que para cada viagem, fazemos 3 viagens: viajamos antes de ir montando o roteiro e estudando as atrações do lugar, viajamos durante a viagem  e na volta viajamos montando o nosso álbum.

Espero que gostem dessa dica e se ficarem em dúvida de qual álbum escolher, onde comprar… Estamos a disposição para lhe ajudar!!!

 

Perdemos o avião e fomos para a Disney

No nosso último post sobre nossas férias nos EUA eu comentei que após Santa Bárbara na manhã seguinte seguiríamos para Los Angeles para pegar nosso voo de volta… Pois eh, essa era nossa intenção, mas acabou que não conseguimos.

Como assim?

Existe uma regra de viagem que diz que você deve evitar longos percursos no dia de retorno, principalmente se seu voo for na parte da manhã. Então, ignoramos totalmente esse conselho e o que aconteceu? Perdemos o avião!!!

Ao chegar em Los Angeles pegamos muito trânsito, nosso voo era às 11:40, chegamos na locadora às 10:00 horas, até devolvermos o carro e pegarmos o Shuttle havia se passado uns 10 min, ainda daria tempo.

O problema foi o trânsito interno no aeroporto, nosso terminal era o último e até chegarmos nele já era 10:45, enfim chegamos no balcão do check-in e havia uma mulher com uma criança na nossa frente, a atendente da cia aérea, nos viu parados na fila e simplesmente nos disse que não poderia mais fazer nenhum check-in.

Tentamos dialogar, ela ainda nos perguntou quantas malas tínhamos e disse que não dava, simplesmente nos estendeu um papel com o número do telefone para remarcarmos o voo e nos deixou ali parados sem nenhuma solução.

Isso foi numa segunda feira e o próximo voo seria apenas na quarta, por um momento ficamos um pouco desesperados, chegamos a cogitar comprar passagem em outra cia, mas era inviável o valor,  resolvemos aceitar a situação e procuramos um hotel pela internet que ficasse próximo do aeroporto.

Remarcamos nosso voo, avisamos nossa família e nos conformamos, afinal de contas agora tínhamos mais um dia em Los Angeles e precisávamos pensar como aproveitar.

Quando elaboramos o roteiro de Los Angeles precisamos optar por visitar apenas um parque de diversão. Como a  Bárbara ainda era pequena demais e não iria aproveitar muito, resolvemos escolher o Universal, para que nós que curtimos os filmes pudéssemos aproveitar. Então depois que nos acalmamos pensamos; ganhamos o dia que nos faltava para visitar a Disney.

Ao chegarmos no hotel, largamos as coisas e fomos almoçar no Dennis que tinha bem na frente, demos uma descansada e após fomos nos informar com os atendentes se tinham indicação de alguma agência que fazia a Disney, afinal de contas agora não tínhamos mais carro e o Parque fica na cidade de Anaheim, mais ou menos uns 40 km de os Angeles. Nos indicaram a Vip Tours que cobrava $ 145,00 por pessoa, só o ingresso para entrar no Disneyland Park estava $ 95,00, então digamos que valeu a pena; nos pegariam no hotel às 9:00 horas e nos trariam de volta às 19:oo horas. E enfim  agendamos o passeio para a manhã seguinte.

A Disney sempre foi para nós um sonho de criança, algo que se acontecesse um dia… ok seria muito legal… mas quando vi esse sonho tornando-se verdade confesso que enchi os olhos de lágrima, nunca imaginei que reagiria dessa maneira, deu um nervoso, o coração bateu mais forte e sabe aquele sorriso de ponta a ponta que você não consegue conter, assim eu estava. Até a Bárbara que nem sabia o significado daquele lugar pareceu absorver toda a emoção do momento, ela dava pulos no carrinho e gritava de  felicidade. Visitar a casa do Mickey e presenciar a reação dela ao ver que o desenho estava na sua frente, fez valer cada centavo.

DisneyDisney 3

Na Califórnia a Disney possui dois parques, o Disneyland Park e o Disney California Adventure Park. Nós visitamos apenas um deles, o ideal é dividir a visita no mínimo em dois dias se você quiser ir aos dois. Os parques abrem das 8:00 às 23:00 horas (Disneyland Park) e das 8:00 às 21:00 horas  (Disney California Adventure Park). Embora estivéssemos com uma criança de 1 ano e 3 meses conseguimos fazer muita coisa, inclusive junto com ela.

O mais bacana foi o fato de estarmos lá na semana do Halloween, estava todo mundo fantasiado, pelo o que deu pra sentir é que pra eles o Halloween é tipo o Carnaval no Brasil. Foi tudo fantástico e acho que encerramos a nossa viagem da maneira mais perfeita que poderia ser.

Então essa foi a nossa inesperada visita à Disney Califórnia, portanto queridos amigos se por acaso algum dia perderem o avião em Los Angeles, não se desesperem; vá para a Disney e faça desse Limão uma deliciosa Limonada!!!

Sugestão de presentes para o Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados está chegando e você já pensou no que dar de presente para ele ou para ela?

Para aqueles que adoram viajar, não existe nada mais perfeito do que algo que lembre as viagens que vocês já fizeram juntos ou as que ainda estão por vir…Por isso o site Viagema pode ser uma ótima opção. Eu já comprei deles e adorei…a entrega é rápida e o produto é ótimo.

Fica a dica para você inovar nessa data tão romântica!!

mundo coração

Infinita Highway…

Infelizmente ou felizmente chegamos na nossa última parte da viagem, mas que ainda reservava grandes emoções e paisagens de tirar o fôlego.

Deixamos San Francisco perto das 11:00 horas, queríamos ter saído mais cedo, pois nossa intenção era conhecer o Googleplex  em Mountaim View, mas o cansaço não nos permitiu antecipar muito a saída e acabamos cancelando essa programação. Sendo assim decidimos ir direto a Monterey sem paradas. Ao chegarmos na cidade fomos direto para o Cannery Row (uma antiga fábrica de sardinhas transformada num cais turístico), fizemos um breve passeio e escolhemos almoçar no restaurante The Fish Hopper que existe à beira mar. Após o almoço seguimos para o Monterey Bay Aquarium, era um sábado então estava lotado, mas não atrapalhou nosso passeio, adoramos tudo o que vimos, mas devíamos ter visitado o aquário de San Francisco que tem aquele túnel de aquário.

MontereyAquário Monterey

Saímos do aquário e fomos para o hotel fazer o check-in, tomamos um banho e em seguida voltamos para o carro pois a nossa programação do dia incluía assistir ao pôr do sol em Carmel…E digamos que foi perfeito encerrar esse fabuloso dia com esse passeio, Carmel é um mimo de cidade, rústica e delicada ao mesmo tempo, parece cidade de serra e ao mesmo tempo tem praia, o que deixa ela perfeita. As casas da orla são um encanto e acabam sendo uma atração à parte. Encerramos o dia com um delicioso jantar e fomos para o hotel, pois o dia seguinte nos reservava uma das melhores partes da viagem.

Pôr do Sol - CarmelCarmel

Acordamos cedinho e demos início a nossa jornada, até Santa Bárbara seriam 382 km, mas com muitas paradas para fotos, também tem a questão de ser uma estrada cheia de curvas e por isso não tem como manter uma velocidade alta nela. Mas vamos combinar também que seria um grande desperdício fazer a Highway 01 em alta velocidade, a paisagem é linda demais, a cada curva que se faça os olhos parecem não dar conta de ver tanta beleza, pobre de quem tem que dirigir, pois perde grande parte da vista. Por isso que paramos muito, assim o Diógenes também podia apreciar a estrada.

Nosso almoço foi na beira da estrada, num lugar que parecia aqueles ranchos americanos, comemos um hamburguer só pra variar, ao lado um banda composta por músicos aparentando uns 50 e poucos anos tocavam sucessos do Dire Straits, Rolling Stones e outros… Mais americano impossível… Minha única lástima foi ter perdido de fotografar a McWay Falls (a cachoeira que desemboca na praia), não chegamos a anotar onde exatamente ela se encontrava, por isso eu vinha atenta, mas como tinha muito movimento, quando me dei conta de que estava vendo a cachoeira, não tinha mais como parar, fiquei muito decepcionada comigo mesma, mas fazer o que… fica pra próxima…Na minha opinião a Big Sur, como é conhecida essa região; merecia um pernoite, assim dava para explorar os parques naturais que existem e ver com mais calma, mas também é preciso estar com grana extra para fazer isso, pois os hotéis da região são bem salgados!!! Com tantas paradas chegamos a Santa Bárbara junto com o pôr do sol, então não pudemos aproveitar nada da cidade, mas pela breve passagem, pareceu ser bem legal. Fomos direto para o hotel e só saímos rapidinho para jantar. Na manhã seguinte seguimos até Los Angeles para pegar o nosso voo de retorno …quer dizer essa era a nossa intenção (aguarde post extra!!!)

Assim finalizamos nossa série de posts sobre nossa primeira viagem aos EUA, visitando algumas das principais cidades da Califórnia e Las Vegas que fica no estado de Nevada. Espero que tenham gostado, que nossas dicas possam ajudar você numa próxima visita a Califórnia e se tiver alguma questão que não foi aqui comentada, nos escreva que será um enorme prazer pode lhe ajudar.

Abaixo os links que nos ajudaram a fazer esse roteiro.

Felipe o pequeno Viajante; Idéias na Mala; Viaje na Viagem; Viajando com Palavras

 

Multa nos EUA

Multa nos EUA

Sim prezados leitores, nós fizemos essa proeza na nossa primeira visita ao país do TIO SAM. Mas não estou fazendo esse post apenas para contar  essa infeliz experiência e sim para lhe orientar caso isso aconteça algum dia com você… Mas desde já torcemos para que isso nunca te aconteça!!!

Estávamos a caminho de San Francisco e a estrada estava bem tranquila porém era uma pista simples de duas mãos e que de tempos em tempos apresentava uma faixa adicional para ultrapassagem, na nossa frente estava um Camaro Amarelo andando bem chutadinho. Em um determinado momento o trânsito ficou um pouco lento e enfileirado por conta de um caminhãozinho desses rurais carregado de feno e assim que surgiu uma pista adicional todos os carros pisaram um pouco mais, inclusive nós e quando chegou a nossa vez de ultrapassar o caminhãozinho a faixa adicional estava chegando ao fim e mesmo assim aceleramos um pouquinho mais e concluímos a ultrapassagem, instantes depois como cena de filme eis que surge uma camionete toda preta com as sirenes ligadas andando bem grudada atrás de nós, encostamos  e em seguida veio o guarda rodoviário ao nosso encontro. Foi tipo cena de Filme!!!

Ele nos abordou de uma maneira muito educada e inclusive após ver que estávamos com uma criança pareceu até meio constrangido, nos disse que estava perseguindo o Camaro mas que em poucos segundo havíamos cometido duas infrações que ele não pode deixar passar, mas que iria nós dar uma multa mais leve mas que ele não saberia nos dizer o valor, ao final pegou o passaporte do meu marido, foi até o carro dele fez algum tipo de consulta e retornou, perguntou o peso, cor dos olhos, dos cabelos, da pele, altura, profissão, endereço e outras coisas que nem lembro, ao final recolheu a assinatura do Diógenes e nos orientou que  se não recebessemos a multa até o dia 20/11 deveríamos ligar para o departamento de polícia daquela localidade.

Chegando no Brasil, fomos a procura de pessoas que tivessem passado pela mesma experiencia e até achamos alguns, mas eram brasileiros que estavam morando nos EUA. Então não nos restou outra alternativa a não ser esperar para ver se a multa viria mesmo pelo correio. Bem, até o dia limite dado pelo guarda a multa não havia chegado, então através do skype ligamos para a corte do condado de Mariposa e explicamos o nosso caso, eles nos pediram um email para enviar o link no qual poderíamos pagar a multa utilizando o cartão de crédito e assim resolvemos nossa pendência com o Tio SAM. Dias depois a multa chegou pelo correio, mas por sorte não ficamos aguardando o que foi muito bom pois ela tinha data de vencimento e nesse caso já tinha passado.

Outra coisa, embora o guarda tenha dito que aliviaria com uma infração mais leve a multa foi bem carinha $$$ ( U$D 229,00). Então, fica ai nosso lastimável testemunho e a gente espera não precisar ajudar ninguém com esse tipo de situação, mas caso seja necessário estamos a disposição.

 

 

4 dias em San Francisco

Deixamos Oakhurst um pouquinho além do que tínhamos programado, pois a essa altura da viagem  já estávamos bem cansadinhos e aproveitamos para dormir um pouquinho mais e tomar com tranquilidade o delicioso café servido no hotel.

Chegamos em San Francisco já era passado das 13:00, fizemos check-in no Hotel Buena Vista (um hotel simples, porém muito bem localizado e limpo), em seguida fomos pra rua, até porque estava um dia maravilhoso e San Francisco é uma maravilhosa cidade com muitas coisas para se aproveitar e também uma cidade com muitas lombas, mas esse detalhe não nos intimidou, colocamos a Bárbara no nosso guerreiro carinho e imediatamente fomos descobrir as belezas da cidade. E por falar em lombas a nossa primeira parada, foi na famosa Lombard Street.

Lombard Street

Nossa intenção era encontrar algum lugar para almoçar e parar por aí a nossa exploração do dia, mas estávamos tão empolgados com nossas descobertas e a temperatura estava tão agradável que após nosso almoço (café da tarde), quando vimos tínhamos chegado no Pier 39. O Pier 39 é o mais badalado de San Francisco, nele encontram-se restaurantes, lojinhas e várias atrações. Ao chegar no pier, você será recebido pelos Leões marinhos, que ficam expostos como se estivessem fazendo pose para a fotografia. Voltamos ao hotel, já era noite e fomos dormir muito satisfeitos com o nosso primeiro dia em San Francisco.

Começamos nosso segundo dia muito empolgados pois já tínhamos agendado nossa visita à Alcatraz. Nosso tour estava agendado para às 9:30, como nos enrolamos um pouco no café, resolvemos pegar o primeiro táxi que cruzou na nossa frente e fomos até o Pier 33, de onde sai o Barco que leva os visitantes até a Ilha, essa viagem dura uns 15min. Chegando à ilha você logo avista  uma rampa que dá acesso à prisão. Logo na entrada você retira o audio-guide (esse é o melhor audio guide que eu já ouvi), que te guia direitinho por toda a prisão, passando por todos os ambientes e contando historias que aconteceram no local, o passeio termina numa lojinha de souvenir. A dica é assistir ao filme Fuga de Alcatraz, o passeio será ainda mais interessante.

Alcatraz

Após o passeio fomos até o Ferry Building Market Place para fazer o nosso almoço e em seguida fomos conhecer a Chinatown, caminhamos pra caramba até que resolvemos fazer uma parada em um Restaurante em North Beach para dar uma descansada e após seguirmos até o hotel. À noite fomos conhecer a Chesnut Street que fica numa região bastante conhecida pelos pubs e restaurantes, acabamos numa Hamburgueria deliciosa e assim encerramos nosso segundo dia.

O terceiro dia era o dia que nos mais queríamos tempo bom, pois era o dia reservado para conhecer a Golden Gate e Salsalito, felizmente tivemos nossas preces atendidas e amanheceu um dia lindo para fazermos o nosso passeio. Compramos o Ticket  do Big Bus San Francisco para dois dias, pois assim não precisaríamos andar de carro em San Francisco e se preocupar com estacionamento, já que o estacionamento do hotel estava incluso na diária. O Big Bus fazia uma parada em frente ao nosso hotel, outro motivo para optarmos em fazer os passeios mais distantes com ele, assim facilitava bastante para nós. Pegamos o ônibus já era umas 10:00 e até ele chegar na Golden Gate ele passou por todos os lugares onde tínhamos caminhado no dia anterior, o que foi bem bacana pois com as explicações do guia foi bem bacana revisitar alguns lugares. Após atravessar a Golden Gate você precisa descer e aguardar um outro ônibus que faz a viagem até Sausalito. Enquanto esperávamos o próximo ônibus aproveitamos para fazer nossas fotos com a ponte ao fundo. Até Sausalito leva-se em torno de 20 minutos e o motorista, que também era o guia foi bem parceiro e parou num lugar bem bacana para tirarmos mais fotos, ele disse que não tinha como não parar; afinal de contas tínhamos dado muita sorte naquele dia porque não tinha nevoeiro. Em seguida estávamos no centrinho de Sausalito, fizemos um breve reconhecimento da cidade e fomos comprar nosso almoço, mais uma vez hamburguer, indicação do motorista; segundo ele era o melhor da região. Sentamos numas mesinhas que tinham na praça da cidade, na beira do mar e tivemos um almoço muito agradável. Após o nosso almoço demos mais uma volta, olhamos as lojinhas, comemos um sorvete de sobremesa e caminhamos até o pier. Quando notamos o tempo já havia passado e já era hora de voltarmos. Na volta de Sausalito o ônibus atravessa toda a ponte novamente e se você quiser pode descer para fazer fotos de um outro ângulo da ponte, o que valeu muito a pena, pois as fotos ficaram perfeitas. Retornamos ao hotel, demos uma rápida descansada e fomos para o Pier 39 encerrar nosso terceiro dia, encontrando um amigo nosso que já está morando lá há quatro anos e aproveitamos a companhia dele para experimentar a boudin clam chowder (sopa de camarão no pão)…DELICIA!!!

O nosso quarto e último dia em San Francisco, iniciou um pouco lento e isso acabou comprometendo o nosso roteiro do dia. Saímos um pouco tarde do hotel, pegamos novamente o Big Bus e nossa primeira parada foi o Museu de Arte Asiática, ele tinha um acervo muito bacana, mas como nosso tempo era curto olhamos tudo muito rápido e acabamos nos cansando cedo. Em frente ao Museu tinha uma grande praça e atravessando ela ficava o Prédio da Prefeitura que tinha uma cúpula fabulosa, ao sairmos do prédio da prefeitura havia um evento de Food Truck e aproveitamos para fazer o nosso almoço, compramos o nosso lanche e comemos ali na praça mesmo. Pegamos o Big Bus novamente e a próxima parada foi o Alamo Square para conhecer as Painted Ladies (famosas casinhas coloridas), após seguimos com o Big Bus até o Golden Gate Park, um grande parque urbano que ocupa uma área de 4,12 quilômetros quadrados, ou seja, você vai precisar muito tempo e disposição para visitar uma boa parte das atrações, no nosso caso faltou os dois requisitos básicos, mesmo assim com o tempo e a disposição que nos restava visitamos o Jardim Japonês e ficou a promessa de um dia retornarmos para aproveitar o restante das atrações.

Chegamos ao hotel exaustos mas felizes de cumprir com o nosso roteiro em San Francisco. Aos poucos íamos chegando ao fim da nossa viagem, mas essa Invasão Bárbara ainda nos reservava muitas coisas bacanas pela frente. E aí, curtiu esse roteiro? Segue abaixo os links que nos ajudaram a montar ele, se ainda assim precisar de ajuda, nos deixe um comentário, será um prazer poder lhe ajudar.

Trip AdvisorIdeias na Mala; Viajando com PalavrasViajando com Palavras IIHotel Califórnia BlogAlo HoustonAlo Houston II;